O SIGNIFICADO DO MAHA MANTRA HARE KRISHNA – por Lokasākṣī Dāsa

Segundo a tradição védica, mahā-mantra[1] é aquele mantra que, por ser o “Santo nome” da Divindade, pode conduzir à liberação. Essa é a potência sublime do mahā-mantra. A literatura védica afirma que:

nama cintamaniḥ kṛṣṇaś caitanya-rasa vigrahaḥ
pūrṇaḥ śuddho nitya-mukto ‘bhinnatvān nāma-nāminoḥ
,

“O santo nome de Kṛṣṇa é de essência espiritual (cintamani) e a forma plena dos relacionamentos espirituais (caitanya-rasa). Ele é pleno (pūrṇa), puro (śuddha) e eternamente liberado (nitya-mukta), pois no plano espiritual não há diferença alguma (abhinna-tvan) entre o nome (nāma) e o nominado (nāmin).” (Padma Purāṇa,1,2. )

Os mantras possuem dois principais aspectos: bīja (semente) e pada (pé)[2]. A sílaba oṁ (oṁkāra) é o bījamantra por excelência, sendo considerado a representação sonora da Divindade em seu aspecto imanifesto (avyakta) e universal (viśvam); ele, imanente em todas as coisas, está implícito em todos os mantras védicos. Mas quando a relação mística é considerada do ponto de vista da “alteridade”, em uma relação pessoal de amor (bhakti-rasa) com a Divindade, temos que utilizar o aspecto pada do mantra. O padamantra é uma sentença completa, geralmente uma estrofe, expressando uma prece ou invocação da Divindade. A árvore imanifesta na semente, agora pode ser vista plenamente manifesta no seu pé, pleno de galhos, folhas, flores e frutos.

O mais conhecido desses mantras é o mahā-mantra hare kṛṣṇa. Apesar de ter sido inicialmente divulgado por todo o mundo por Śrīla Bhaktivedānta Swami Prabhupāda, ele não é um mantra exclusivo do Movimento Hare Krishna; todas as linhas védicas o utilizam. Qual é a razão disso?As escrituras védicas, tanto as Upaniṣad como os Purāṇas, recomendam o cantar do mahā-mantra hare kṛṣṇa como o processo de meditação para Kali-yuga, a atual era de desavenças e caos que vivemos há mais de 5.000 anos:

hare kṛṣṇa hare kṛṣṇa kṛṣṇa kṛṣṇa hare hare hare rāma hare rāma rāma rāma hare hare
iti ṣoḍaśakaṁ nāmnāṁ kali-kalmaṣa-nāśanam nataḥ parataropāyaḥ sarva-vedeṣu dṛśyate

“Hare Kṛṣṇa, Hare Kṛṣṇa, Kṛṣṇa Kṛṣṇa, Hare Hare; Hare Rāma, Hare Rāma, Rāma Rāma, Hare Hare.[3] Essas dezesseis palavras agem especificamente contra as contaminações da Era de Kali. Chega-se a essa conclusão após se pesquisar todas as escrituras védicas.” (Kali-santaraṇa Upaniṣad,1,2. )

kaler doṣa-nidhe rājann asti hy eko mahān guṇaḥ
kirtanād eva kṛṣṇasya mukta-saṅgaḥ paraṁ vrajet

“Meu querido rei, apesar da era de Kali ser um oceano de defeitos, ainda assim há uma grande qualidade: Simplesmente por cantar os santos nomes do Senhor Kṛṣṇa pode-se libertar do cativeiro material e ser promovido ao mundo transcendental.” (Śrīmad-Bhāgavatam,12.3.51).

harer nāma harer nāma harer nāmaiva kevalam
kalau nāsty eva nāsty eva nāsty eva gatir anyathā

“Os nomes do Senhor Hari, os nomes do Senhor Hari, os nomes Senhor Hari, certamente cantá-los é o único caminho nessa era de Kali. Não há outra maneira. Não há outra maneira. Não há outra maneira.” (Bṛhan-nāradīya Purāṇa, 38.126)

O mahā-mantra hare kṛṣṇa é constituído de três palavras hare, kṛṣṇa e rāma, todas declinadas no vocativo. Hare é a forma vocativa de harā. Harā é um nome de Rādhā, a energia interna de prazer (hladhini-śaktī) de Kṛṣṇa. Quando nos dirigir à Deus temos que fazê-lo indo primeiro à sua śakti. Como por exemplo: Lakṣmī-Nārāyaṇa, Śrī-Viṣṇu, Sītā-Rāma, etc.

O nome Kṛṣṇa significa “todo atrativo.” Segundo a tradição vaiṣṇava, apesar da Verdade Absoluta (Param brahman) ou o Si mesmo supremo (Param Ātman), quando considerado no seu aspecto infinito do existência (Brahman), não poder ser definido plenamente por nenhum nome ou conceito material (nama-rūpa), ele manifesta-se plenamente para os seus devotos, através de suas potências inconcebíveis (acintya-śakti) como Bhagavān, “aquele que é pleno de opulências ilimitadas”. Porque, devido às Suas opulências, Bhagavān (a Suprema personalidade da Divindade) atrai a todos, Ele é chamado de Kṛṣṇa. O Mahābhārata (Udyoga-parva 71.4), analisa o nome Kṛṣṇa da seguinte forma:

kṛṣir bhū-vācakaḥ śabdo ṇaś ca nirvṛti-vācakaḥ tayor aikyaṁ paraṁ brahma kṛṣṇa ity abhidhīyate

“A sílada kṛṣ é o aspecto atrativo da existência do Senhor, e a sílaba ṇa significa ‘prazer espiritual.’ Ao acrescentar à raiz verbal kṛṣ o afixo ṇa, temos kṛṣṇa, que indica a Verdade Absoluta (paraṁ brahma).”

Finalmente, Rāma é outro nome de Bhagavān e significa “a fonte do prazer”:

ramante yogino ’nante satyānanda-cid-ātmani
iti rāma-padenāsau paraṁ brahmābhidhīyate

“Os místicos sentem prazer espiritual ilimitado do Ser eterno, consciente e bem-aventurado, portanto a verdade Absoluta (paraṁ brahma), e conhecido como Rāma.” (Rāma-pūrva-tāpiny-upaniṣad 1.6)

Portanto, segundo a tradição vaiṣṇava, o mahā-mantrahare kṛṣṇa é uma prece que apela ao Senhor Supremo através de sua energia de serviço e pode ser traduzida livremente da seguinte forma:

hare kṛṣṇa hare kṛṣṇa kṛṣṇa kṛṣṇa hare hare hare rāma hare rāma rāma rāma hare hare

“Ó energia de amor do Senhor (hare), ocupe-me no serviço daquele que é Todo-atrativo (kṛṣṇa) e a Fonte do prazer (rāma).”

Cante e seja Feliz!

Notas:

[1] Mahā significa “grande”.

[2] GUPTA, Sanjukta. “The Pancaratra Attitude to Mantra”, in. Alper, Harvey P. Understanding Mantras. Delhi: Motilal Banarsidass, 1991, p. 235.

[3] Apesar de alguns manuscritos dessa Upaniṣad apresentar a linha “hare rāma” entes de “hare kṛṣṇa”, segundo a autoridade de Śrī Caitanya, a forma recomendada para se cantar esse mantra é com hare kṛṣṇa primeiro. Na verdade a alteração da ordem não muda o sentido do mantra.

Comente, curta e compartilhe! 

 
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp